Como evitar um novo AVC

Home / Folders / Como evitar um novo AVC

Como evitar um novo AVC

Como evitar um novo Acidente Vascular Cerebral (AVC)?

Após o AVC, os pacientes tendem a focar seus esforços na recuperação das atividades de rotina
e reabilitação. A prevenção de um novo AVC, no entanto, deve ter sua importância reforçada. Anualmente, 5 a 14% dos pacientes vítimas de AVC irão desenvolver um segundo evento no período de um ano. Em 5 anos, a recorrência do AVC pode chegar a 24% em mulheres e 42% em homens.
A prevenção do AVC também se faz crucial para os pacientes vítimas de Ataque Isquêmico Transitório (“ameaça de AVC”) ou AVCs menores (com poucos déficits).

Escolha seu estilo de vida:

Todo indivíduo apresenta algum risco para desenvolver AVC, porém existem 2 tipos de fatores de risco: um tipo que não pode ser controlado e outro que pode. Os fatores de risco não-modificáveis são:

 

  • Idade > 55 anos
  • Sexo masculino
  • História familiar de AVC
  • Ser portador de diabetes

Apresentar um ou mais desses fatores não significa que você irá desenvolver o AVC. Através de mudanças simples no estilo de vida, você será capaz de reduzir o risco de um primeiro AVC ou de um evento recorrente. Essas mudanças podem envolver:

 

  • Controlar a pressão arterial
  • Descobrir se você possui fibrilação atrial (um tipo de arritmia cardíaca que pode levar a formação de coágulos)
  • Parar de fumar
  • Controlar o consumo de álcool
  • Controlar os níveis de colesterol
  • Manejar adequadamente o diabetes
  • Fazer atividade física regular
  • Consumir alimentos com baixos teores de sódio (sal) e gorduras
  • Acompanhamento médico regular

Controle da pressão arterial

A hipertensão arterial é um dos fatores de risco mais importantes e facilmente controláveis.
O ideal é realizar um controle regular da pressão arterial de acordo com a orientação médica, especialmente
para aqueles pacientes portadores de doença cardíaca prévia, doenças renais, diabetes, altos níveis de colesterol e sobrepeso.
Em muitos casos, a pressão pode ser controlada através de dieta e atividade física regular (exercícios leves podem fazer a diferença: caminhadas, andar de bicicleta, nadar ou fazer pequenos serviços em casa).
O ideal para adultos é atividade física moderada por, no mínimo, 30 minutos ao dia, 4-5 vezes por semana. Importante lembrar de sempre perguntar ao médico qual tipo de exercício é o mais indicado para você.
No caso de persistência dos altos níveis de pressão arterial mesmo após a adoção de hábitos saudáveis, o médico deverá ser consultado para definir a necessidade do tratamento medicamentoso. Existem diversas opções de medicação (a maioria disponível nas unidades básicas de saúde) e cada caso deve ser individualizado para definir a melhor escolha.

Uso de medicação

Algumas medicações podem reduzir o risco de AVC.
Além dos anti-hipertensivos, medicações para controle de colesterol e de doenças cardíacas estão disponíveis. Também existem medicações que interferem na formação de coágulos sanguíneos (antia- gregantes plaquetários), sendo o mais frequentemente utilizado o ácido acetil-salicílico (AAS).

Acompanhamento de doenças cardíacas

Muitas formas de doenças cardíacas podem elevar seu risco de AVC. Uma forma comum é conhecida como fibrilação atrial ( FA) e pode levar à formação de coágulos que podem chegar ao cérebro e causar um novo AVC.
br />
A fibrilação atrial é um tipo de arritmia (batimento cardíaco irregular) comumente tratada com o uso de anticoagulantes (principalmente a varfarina sódica e a heparina) para evitar a formação de trombos e recorrência de AVC.

Controle de colesterol

Altos níveis de colesterol podem elevar os riscos de AVC através da formação de placas de gordura que podem prejudicar o fluxo sanguíneo no interior das artérias ou de trombos que podem levar a ocorrência de novos eventos.
Algumas medicações como as estatinas podem ajudar a controlar os níveis de colesterol e evitar a progressão na formação das placas de gordura.

Opções cirúrgicas

Para aqueles casos em que o AVC foi causado por uma obstrução nas artérias carótidas (principais artérias responsáveis por levar sangue ao cérebro), um procedimento cirúrgico conhecido como endarte- rectomia pode ser indicado para melhora do fluxo sanguíneo.
Além disso, a opção de tratamento endovascular (“cateterismo”) também pode ser disponível através de um procedimento chamado angioplastia com “stent”.
O médico deverá avaliar seus exames para, junto com você, definir qual o melhor tratamento para o seu caso.

Confiança é essencial

O ponto chave para prevenir a recorrência de um AVC é seguir as orientações da equipe multidisciplinar sobre dieta, exercícios, perda de peso e uso correto das medicações.
Através do entendimento da importância de cada uma dessas medidas, você estará apto a seguir as sugestões e fazer escolhas em relação às melhores medidas para reduzir seu risco de um novo AVC. Devemos também dar a devida atenção à reabilitação que é “um compromisso para a vida” e uma peça essencial para a recuperação pós-AVC. Através da reabilitação, você irá reaprender habilidades básicas como falar, comer, se vestir e caminhar.
A reabilitação também pode melhorar sua força, flexibilidade e resistência, com o objetivo principal de recuperar o máximo de independência possível.
Lembre-se sempre de perguntar ao seu médico: “Como eu estou em minha jornada para a prevenção e a recuperação de um AVC?”
Bibliografia http://www.stroke.org

Elaboração:
Pedro Weiss – Neurologista pedroxvt@hotmail.com
Equipe Interdisciplinar U-AVC – HMSJ – Joinville – SC

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.